Menu principal
 

Movimento pela Interação Animal no Hospital Infantil de Joinville

terça-feira, 16 de maio de 2017

Em relatos da Inglaterra do século XVIII já é possível encontrar experiências positivas do contato de animais pet com pessoas doentes. Chamada de “pet terapia” ou cinoterapia, esta prática tem se desenvolvido e vem abrindo cada vez mais espaço em locais próprios para tratamentos de saúde, como hospitais, clínicas de reabilitação e centros de tratamento.

Da mesma forma, projetos com o intuito de colaborar com essa prática, de maneira adequada e com orientação profissional, têm sido criados em vários locais. Este é o caso do projeto MIA (Movimento pela Interação Animal), criado e desenvolvido em 2014, no curso de Medicina Veterinária do Instituto Federal Catarinense Campus Araquari. Atualmente, o MIA tem atuado em alguns locais nos municípios de Joinville e São Francisco do Sul, fechando parcerias e colaborando com o tratamento de dezenas de pacientes.

Desde abril de 2016 o grupo vem desenvolvendo ações no Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria (HIJAF) nas mais diversas alas: neonatal, cardiologia, clinico, cirurgia, ortopedia, oncologia. Recentemente, o grupo teve acesso à ala psiquiátrica, onde nunca haviam chegado as ações voluntárias Na sexta-feira, 05 de maio, a equipe do projeto esteve mais uma vez no local, e visitou pacientes internados na ala de ortopedia e neurologia. Reunidos na brinquedoteca do hospital, os pacientes assistiram entusiasmados a alguns truques que os cães terapeutas fizeram, bem como tiveram a oportunidade de interagir e brincar com os animais, dando e recebendo carinho dos mesmos. Aos pacientes que não estavam impossibilitados de sair dos seus quartos, os voluntários do projeto levaram os animais para o contato em cada leito.

As atividades do projeto no Hospital Infantil se estenderam pela tarde de sexta-feira, sendo sempre acompanhadas por integrantes da equipe, em sua maioria da área da Medicina Veterinária, além de uma psicóloga que faz parte do grupo, e também por profissionais do próprio hospital. Por qualquer parte que os voluntários passavam, era perceptível os olhares, sorrisos e não raros os pedidos para fazer um carinho nos cães ou brincar por alguns instantes.

A interação com os animais provoca as mais diversas reações nas crianças, desde a surpresa, até alegria e afeto. Mesmo aqueles que têm receio no início, acabam se deixando contagiar com esse momento. Incentivados pelos voluntários do projeto, as crianças têm a oportunidade de participar dos truques, ter contato e trocar carinho com os pets. Isso é um facilitador para a aproximação de outras pessoas também, inclusive auxiliando na realização de procedimentos para o tratamento dos pacientes mais tímidos e retraídos.

São interessantes também os depoimentos após as ações do projeto, como quando uma das fisioterapeutas do HIJAF relatou que estava encontrando dificuldades na realização dos exercícios por parte de uma paciente, mostrando-se bastante relutante e pouco colaborativa. Entretanto, após a sessão de cinoterapia, a paciente mostrou-se risonha e disposta a seguir as instruções apresentando até avanço no prontuário.

O comportamento afetivo é o mais influenciado pela terapia com animais, gerando uma comunicação recíproca entre o pet e as crianças. E é justamente na infância onde se encontram os melhores resultados desta interação, promovendo o desenvolvimento da autoestima, respeito e companheirismo.

Para saber mais a respeito deste projeto, acesse as redes sociais, curta e compartilhe essa atitude positiva: www.facebook.com/contatomia

*Todas as imagens estão disponíveis na Galeria de Fotos da CECOM, neste LINK.

Texto: CECOM/Araquari e Projeto MIA
Imagens: CECOM/Araquari